29 outubro 2007

Paula Rego - Impactante!


Foi o meu presente de aniversário: visitar a exposição da Paula Rego em Madrid, no Museu Nacional Centro de Artes Reina Sofia. Cheia de trabalho, lá me enchi de coragem para o deixar para trás e fomos, o meu maridão e eu, desanuviar durante um fim de semana, que bem precisávamos.

A entrada no museu foi gratuita - é sempre assim aos sábados de tarde e aos domingos. Quando entrámos, alugámos um guia digital, tipo rádio com auscultadores, para irmos ouvindo a explicação do que víamos. (A senhora do museu apresentava-nos os packs de guias que podíamos alugar e, quando falou na Paula Rego disse "es una pintora portuguesa", ao que eu respondi orgulhosamente: "si! vinimos por ella!"). O aluguer do guia foi uma boa opção; sem ele a exposição não teria tido um décimo da graça.

Eu já sabia que a Paula Rego possuia um espírito inquieto com uma grande dose de loucura, mas aprendi bastante sobre a vida dela, a forma como lhe foram ocorrendo alguns trabalhos e como os preparava e percebi que a insanidade dela vai muito além daquilo que eu possa alguma vez imaginar. É por isso que consegue ser genial.

Aprendi também que é frequente um quadro não nascer de uma assentada, isto é, o pintor leva algum tempo a pensar no tema, no que quer transmitir, em como o vai fazer, e às vezes faz à parte uns quantos esboços (que também são obras de arte magníficas) até chegar ao desenho final que vai pintar. De certa forma, um ilustrador tem a vida facilitada comparada com a de um pintor - é que a história já está contada, o ilustrador só tem que a desenhar e pintar.

Detive-me o mais que pude em cada um dos quadros da extensa exposição. Em cada segundo mais que dedicava a cada quadro descobria um novo detalhe do desenho, um pormenor da pintura, um retoque de cor... Queria poder tê-los todos em casa para continuar a contemplá-los todos os dias. Sei que sempre irira haver algo de novo para admirar (agora entendo-te, Flávia).

Os quadros da Paula Rego não são propriamente bonitos. As suas personagens, quando não são disformes ou meio-humanas-meio-animais, têm fisionomias austeras, rudes... e as crianças têm quase sempre cara de adultos. Mas as emoções que as pinturas conseguem provocar (pelo menos a mim) valem por tudo o resto. Chocam. Emocionam. Agridem. Espantam. Intrigam. Enternecem. Divertem.

Alguém quer acrescentar algum verbo a esta lista? Sei que me está a escapar algo...

Foi, por certo, um dos melhores presentes de aniversário que já recebi até hoje. Recomendo vivamente! Obrigada maridão!

Depois da exposição da Paula Rego, visitámos outras alas do museu (não todas, porque é demasiado para uma tarde só) e foi muito emocionante poder ver de perto trabalhos de Dali, de Picasso, de Miró (qual deles o mais louco, qual deles o mais genial) e de muitos outros que desconhecia completamente. A verdade é que ver ao vivo os quadros que conhecia dos livros desde criança, é muito, mas muito melhor do que vê-los nos livros ou na internet.

O Guernica, de Picasso surpreendeu-me pela positiva. Não sabia que era tão grande nem tão magnífico. Antes de lá chegar pode ver-se uma exposição sobre todo o processo de construção do quadro e perceber o que foi sendo alterado desde o esboço inicial até ao resultado final. Tanto quis examiná-lo em pormenor que consegui disparar o alarme, só porque me aproximei demasiado...

No fim desta experiência pensei: todos os alunos do ensino secundário deviam ter como obrigatória uma vista de estudo a exposições de artistas plásticos portugueses. Uma visita que fosse devidamente preparada e orientada para que pudessem tirar dali algum conhecimento sobre o que de magnífico vai sendo feito pelos nossos.

7 comentários:

Flávia Leitão disse...

Muitos Parabéns, pelo aniversário e pela maneira esplendorosa que encontraste para o passar! Eu acalento ainda a hipótese de ir lá! A exposição que vi em Serralves foi maravilhosa, mas a mostra era bem mais pequena!
Vou começar a fazer um mealheiro, para comprar um quadro dela, mas não seria um qualquer, existem uns 3 que vivem na minha memória! E se a Paula fosse minha amiga, pedia-lhe um retrato da minha avó! Aí eu seria concerteza plenamente FELIZ!

paulina disse...

olá Célia!!

ooh! qué bien que has ido a Madrid, además ese museo me gusta mucho. Cuando ví el Guernica quedé impresionada, tampoco imaginaba su tamaño.
No conozco a esa pintora pero por lo que cuentas, debe de ser muy buena. Buscaré algo sobre ella.
muuuuuchas graaaacias por tus visitas!!!
saluuudos hasta portugal,
pb

APO (Bem-Trapilho) disse...

bela sugestao para as escolas! os meus professores incentivaram-me e aos meus colegas a ver muitas exposições, mas nós eramos os "artistas" como diziam, muitas das vezes em ton depreciativo, devo dizer. Sim pk isto das artes é muito bonito mas por vezes tornamo-nos anarquistas irredutiveis e com orgulho ainda por cima!!! por vezes era complicado lidar com tanta "arte"! mas ainda hj recordo com uma imensa saudade e muita satizfaçao algumas exposições que vi com colegas e até sozinha, pois não perdia nada que me interessasse de verdade. E como morava em Lx estava tudo ali mais perto o que era fantastico. Agora com pouco tempo e mais longe da acção confesso que é raro visitar alguma exposição. Nos tempos de jornalista tb via muita coisa, mas agora não. Ainda nem fui ao CCB ver o "Berardo", salvo seja! Mas estou doida de vontade!
Bom, mas quero tb desejar-te muitos parabéns! continuação de uma vida muito enriquecedora e feliz por muitos e muitos anos!
bjinhos grandes :)

3ster disse...

Muy buena elección visitarla en el Reina... Debe ser una exposición impresionante desde luego..

Anima Mundi disse...

Também adoro o trabalho da Paula Rego! Que presente de aniversário delicioso...
Mil beijinhos
Marta

Elisabeth disse...

Olá!

Eu gosto muito do trabalho da Paula Rego...sim, os quadros dela nao sao propriamente bonitos mas acho que ninguém fica indiferente ao olhar para eles...por serem isso tudo que disseste, chocam, emocionam, agridem...isso tudo torna-os únicos.

Beijocas e boa semana

Elisabeth

sapatinhos de verniz disse...

Vi uma exposição de Paula Rego aqui no Porto, em Serralves, e deixei a ser admiradora do seu trabalho... passei a ser fã incondicional!
Não dá para descrever a grandeza e os grafismos toscos e a magia macabra que ela coloca nos seus projectos!
Ela é uma verdadeira senhora das artes!
Tenho uma amiga que diz que chega a ter pesadelos de cada vez que dá uma vista de olhos nos trabalhos dela ('';)
Mas eu continuo fã!
Já trabalhei com pastel seco e fiquei de boca aberta ao ver a forma como ela o utiliza!

Abraço