08 novembro 2007

O cheiro da Liberdade

É curioso como eu sinto o ar do centro da cidade muito mais respirável que o da bela e verde quinta onde dou aulas. Basta sair ao portão para fora e parece que até o trânsito é agradável.
Lá dentro o ar é pesado, circunspecto, revoltado e, às vezes, pestilento e sufocante.

5 comentários:

Prof. Teresa disse...

Se o meu post "optimista radical" serviu para a conhecer a si e ao seu trabalho, já valeu muito a pena. Gostei imenso do que aqui li e vi e vou voltar. Quanto à escola, uma dia de cada vez. Eu também tenho os meus dias menos bons :-)

Obrigado pela visita!

Luis Servo disse...

Eu sempre digo que não adianta fazer um belíssimo sol lá fora, se chove dentro da gente... Você Célia, é o sol desses meninos, força na sua belíssima tarefa. Abraços.

APO (Bem-Trapilho) disse...

ai que sufoco! quanto tempo lá vais ficar a dar aulas? por mais enriquecedora que seja a experiência deve ser realmente sufocante!
bjinho e força amiga!

Célia Jordão Alves disse...

Eu tenho vindo a dizer que espero ansiosa pelo momento em que vou querer lá continuar por mais anos, como tem acontecido com outros colegas meus. Ainda não cheguei lá, mas espero lá chegar.

Eu estou a gostar da experiência, mas é preciso realmente despojar-me de muitos hábitos, de ideias feitas, de métodos, de preconceitos... Despojar-me de uns, adquirir outros e ainda reforçar outros. Enfim! É um mundo totalmente à parte.

Célia Jordão Alves disse...

Ah! E obrigada Teresa. Não sei explicar-te como nem porquê, mas trouxeste-me alguma paz ao coração.
:-)