15 setembro 2007

Q_u_e_b_r_a_n_d_o a MaGia...





Como prometi no post anterior, aqui está a telepatia desmontada.
Vou explicar o meu raciocínio tal como o fiz, embora possa não ser a forma mais rápida de chegar ao que se pretende.



Eu já resolvi antes outros enigmas deste tipo e tinha a noção de que era simples equacionar o problema, mas antes de o fazer, resolvi testar o mecanismo.




Fiz duas experiências e resultou na perfeição. À terceira, como sou muito preguiçosa, pensei: nem vou fazer contas, vou só olhar aqui para o primeiro símbolo e ver se isto continua assim tão esperto.

E falhou! Cliquei novamente e, como o símbolo devolvido era, de novo, diferente do primeiro símbolo da tabela que, por sua vez, era diferente do da vez anterior, tirei várias conclusões:



1-Os símbolos mudam todos a cada vez que se faz a experiência.



2-Alguns dos símbolos da tabela nunca serão solução do cálculo. Por isso, o símbolo que aparece no quadrado vermelho deve estar ao lado de todas as soluções possíveis.

3-Estão a fazer-me de tola (bem sei que esta conclusão já vem tarde)...




Passei de seguida à equação do problema.




Um número com dois dígitos pode representar-se por DU, sendo D o algarismo das dezenas e U o das unidades. Podemos escrever DU = Dx10 + U. Por exemplo, 74 = 7x10 + 4.




Ao número DU subtraiem-se sucessivamente o número igual ao algarismo das dezenas e o número igual ao algarismo das unidades. Isso corresponde a escrever DU - D - U.




Agora é só "baralhar e voltar a dar":




DU - D - U =




= Dx10 + U - D - U=




= 9D




Ora, como D pode ser qualquer um dos números 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 ou 9, então 9D, a solução da equação, poderá ser 9x1=9, 9x2=18, 9x3=27, 9x4=36, 9x5=45, 9x6=54, 9x7=63, 9x8=72 ou 9x9=81.




Portanto, independentemente do número pensado inicialmente, a solução é sempre um destes números a bold.
Basta agora voltar a olhar com atenção: o símbolo que lhes corresponde na tabela é igual para todos eles; só que muda cada vez que se realiza a experiência, para nos dar a ilusão que a máquina pensa e adivinha o nosso raciocínio.




;-)


A imagem é um trabalho de Laini Greenstein, retirada do Blog Sonoridades, onde se pode escutar música portuguesa, como é o caso de Telepatia de Lara Li.

3 comentários:

APO disse...

é bom mantermos o cerebro em funcionamento! :))
bjinho querida

APO disse...

é verdade era daquela pinhata que te falei. É um processo algo demorado por termos que deixar secar totalmente antes da proxima camada mas é francamente versátil pois dá para fazer de tudo. até já pensei criar abat-jours pois o meterial fica translucido!
Entao e a tua aventura a dar aulas na prisao, já começou?
bjinhos querida :)

Célia Jordão Alves disse...

Ainda não começou. Só dia 1 de Outubro. Até lá os reclusos andam na vindima das vinhas da prisão.

:-)